O idoso que pediu para ser adotado

A história do chinês que comoveu o país ao dizer que não queria morrer sozinho.

Han Zicheng que sobreviveu à Invasão Japonesa, à Guerra Civil Chinesa e à Revolução Cultural, apenas temia o medo da morte solitária. Em dezembro do ano passado ele resolveu acabar com esse problema, escreveu em alguns pedaços de papel e fixou em um ponto de ônibus o seu pedido:


“Procuro alguém para me adotar. Velho solitário de 80 anos. Forte. Pode fazer compras, cozinhar e cuidar de si mesmo. Sem doenças crônicas. Aposentado do Instituto de Pesquisa Científica em Tianjin, com uma pensão mensal de 6 mil renmimbi (US$ 950)”.

Ele tentou e não encontrou cuidadores, não queria ir para uma casa de repouso. Dessa vez, uma mulher o viu colocando um aviso na vitrine de uma loja, tirou uma foto e a publicou nas redes sociais com um pedido: “Espero que as pessoas de bom coração possam ajudar”.


Veio a esperança

Uma equipe de televisão ficou sabendo e foi contar a história do solitário vovô de Tianjin. O telefone de Zicheng começou a tocar e continuou assim por três meses. As pessoas se aproximaram, mostrando preocupação e tentando ajudar, ele estava esperançoso. Ele iniciou uma amizade telefônica com uma estudante de Direito de 20 anos.


Mas o que ele queria mesmo era ter o carinho e o cuidado de seus filhos, mas tudo foi em vão e seu humor azedou. Ele começou a rejeitar as ajudas e telefonemas e alfinetar constantemente o governo. Com isto as ligações se tornaram menos frequentes e ele foi mais uma vez consumido pelo medo de que morreria sozinho.


Seus últimos dias

Em fevereiro deste ano ele começou a fazer ligações para a Linha de Entrega de Amor de Pequim, serviço que foi criado para prevenção de suicídio no país, principalmente entre os idosos que moram sozinhos.


A estudante de Direito conversou pela última vez com Zicheng no dia 13 de março. No dia 14, ele ligou mais uma vez e não foi ela que atendeu sua ligação. No dia 19, ela ligou de volta e seu filho Han Chang que estava do outro lado da linha, infelizmente o idoso havia morrido no dia 17.

Seus últimos dias de vida foram um mistério, a única certeza é que o que ele mais temia aconteceu, ele morreu sozinho.

Seu filho veio do Canadá, estava com raiva do pai por ter feito o pedido de adoção, disse ainda que seu pai não estava solitário, apenas velho e que isso poderia acontecer em qualquer lugar.


Seu filho disse que o idoso tinha três filhos na verdade, e não dois como tinha contado para a mídia, porém se recusou a dizer o nome dos irmãos.


O desafio é que a China é tanto uma sociedade envelhecida quanto um país em desenvolvimento. A China “envelheceu antes de enriquecer”, afirmou Jiang Quanbao professor de demografia do Instituto de Estudos de População e Desenvolvimento da Universidade Xi'an Jiaotong.

Esse problema é algo sério e que vamos falar em outros posts, assuntos como abandono de pais idosos, suicídio entre idosos e país, como o Brasil, que teremos em pouco tempo uma sociedade envelhecendo antes do país enriquecer.


Infelizmente o idoso chinês só queria carinho, amor, os filhos por perto, o pedido de adoção não foi nada menos que um pedido de "socorro". Vamos prestar mais atenção ao nosso redor, aos nossos pais, aos nossos idosos!



168 visualizações