8 qualidades que todo bom cuidador de idosos deve ter

O aumento da expectativa de vida da população brasileira faz com que a profissão de cuidador de idosos seja considerada uma das profissões do futuro.

Por causa do envelhecimento da população, a profissão de cuidador de idosos já é considerada uma profissão do futuro. Foto: Freepik

A longevidade da população brasileira torna cada vez mais evidente a necessidade de um profissional que sempre existiu, mas que só teve sua profissão regulamentada há pouco tempo atrás no Brasil, o cuidador de idosos.


Segundo dados do IBGE, em 2050 a população brasileira será composta por 63 milhões de idosos, numa relação de 172 idosos para cada 100 jovens e fará com que o cuidador de idosos seja um profissional indispensável para garantir o bem-estar físico, mental e social da pessoa mais velha.


Segundo o PLC 11/2016, o cuidador é aquele que presta assistência a idosos, a crianças e a pessoas com deficiência ou doença rara em tempo integral ou parcial em residências, comunidades ou instituições.

Para ser um cuidador de idosos o indivíduo tem que ter ensino fundamental completo e realizar cursos de qualificação na área. Também é exigido que o profissional tenha idade mínima de 18 anos, bons antecedentes criminais e aptidão física e mental para exercer a profissão.


Além dos pré-requisitos listados acima, é necessário que o cuidador de idosos desenvolva suas atividades com base na ética, que determina que o profissional tenha respeito pelo mais velho e seus familiares, evitando interferir nos costumes e crenças da família, sobretudo a religiosa. Um cuidador ético também deve entender as limitações físicas e psíquicas do idoso, além de tratá-lo pelo nome.


No entanto, ter cursos de capacitação profissional, idade superior a 18 anos e ética profissional não são suficientes para ser um bom cuidador de idosos. Um cuidador profissional precisa ter algumas habilidades para exercer a profissão com carinho e zelo.


A seguir, listamos 8 qualidades que todo bom cuidador de idosos dever ter:


1) Paciência:


Sem dúvidas essa é a primeira e talvez a mais importante qualidade que um bom cuidador de idosos deve ter.


Alguns idosos são totalmente dependentes de terceiros para realizar até mesmo atividades básicas, como ir ao banheiro, escovar os dentes, tomar banho e alimentar-se.


Outros são mais independentes, mas possuem as limitações físicas e mentais impostas pelo avançar da idade, que fazem com que os idosos realizem suas atividades em um ritmo mais lento.


Existem aqueles velhinhos com problemas auditivos, que exigirão que o cuidador repita uma única instrução várias vezes; há também aqueles que num dado momento estão de bem com a vida e daqui a dois minutos, estão mal-humorados.


Um cuidador de idosos bem treinado e experiente é capaz de reconhecer as limitações dos seus pacientes sem levar para o lado pessoal. Um bom profissional consegue incentivar a independência e a autoestima do idoso mesmo no meio de tantas dificuldades.


2) Simpatia:


Um sorriso é capaz de transformar o dia de alguém. Manter-se calmo e otimista nas situações mais difíceis faz toda a diferença na vida dos idosos.


Ao ser cuidado por um estranho, é normal que o idoso se sinta assustado e desconfortável, cabendo ao cuidador profissional acabar com esses medos. Para isso, palavras positivas e demonstrações de carinho e afeto são essenciais.


3) Educação:


O cuidador profissional além de contato com o idoso e seus familiares, também terá contato com as visitas da família, portanto, deverá saber portar-se diante de situações diversas, mantendo sempre a cordialidade e o respeito para com os demais.


Ele também deverá cuidar de sua aparência e de sua higiene pessoal. Ir trabalhar com roupas adequadas, cabelos cuidados – curtos para homens e presos para mulheres - barba feita e unhas limpas e curtas transmitem uma imagem mais profissional e credível do cuidador.


Além de boas maneiras, o bom profissional deve ser discreto e nunca comentar com as visitas ou pessoas desconhecidas sobre particularidades da família para quem trabalha.


4) Força física:


Alguns idosos necessitam de cuidados especiais, como ajuda para tomar banho, trocar fraldas, transferir da cadeira de rodas para a cama e vice-versa.


Para que essas atividades sejam executadas com eficácia, o cuidador precisa dispor de um determinado preparo físico e técnica profissional, que determinam a melhor maneira de executar essas tarefas sem causar danos à sua saúde e à saúde do paciente.


5) Equilíbrio emocional:


O trabalho de cuidar de pessoas idosas requer autocontrole por parte do cuidador profissional.


É preciso equilíbrio psicológico para lidar com as diferenças de humor dos idosos, assim como com os transtornos provocados pelas suas limitações físicas, como incontinência urinária, vômitos, diarreia, entre outros.


Um bom cuidador nunca repreende o idoso numa situação dessas, muito pelo contrário, mantém a calma e a serenidade.


6) Ser bom ouvinte:


Saber ouvir é uma qualidade primordial para um bom cuidador de idosos, pois quebra barreiras, promove a socialização e afasta os sintomas de depressão na pessoa mais velha.


O dia a dia corrido dos familiares faz com que muitos não tenham tempo de parar para dar a devida atenção ao idoso, então, ele acaba internalizando a necessidade de conversar com alguém.


Ser capaz de ouvir o idoso sem interrompê-lo é uma qualidade essencial a todo cuidador, mesmo para aquelas histórias contadas repetidamente. Ouça-os com atenção e interaja com eles, mostrando-se interessado pelos assuntos, mesmo que você já tenha escutado o caso outras vezes.


Fazer com que cada dia a história contada pelo idoso seja diferente é um dom, portanto criatividade é a palavra-chave para o exercício da profissão de cuidador.


7) Ser observador:


Ser capaz de perceber o que o idoso está sentindo é primordial. Alterações bruscas no humor, isolamento e deixar de fazer atividades que tanto gostam podem ser indícios de doenças ou maus-tratos.


Caso detecte alguma situação que exponha o idoso a riscos, o cuidador deve procurar ajuda de órgãos especializados, não podendo e não devendo jamais ser omisso.


8) Ter empatia:


Quando nos colocamos no lugar do outro, todas as dificuldades são superadas. Ao cuidar de pessoas idosas, essa máxima não seria diferente.


Um bom profissional trata o idoso como ele gostaria de ser tratado quando envelhecer, entendo o qual difícil é lidar com os obstáculos impostos pela idade avançada.

Um profissional empático fornece as medicações nas doses e horários corretos ao idoso, cuida da sua alimentação, segurança, higiene e bem-estar como se estivesse cuidando dos seus pais ou avós.


Quais são os conhecimentos que um cuidador de idosos precisa ter?


Para exercer a profissão de cuidador de idosos não é necessário ter um diploma de nível superior, apenas certificados de capacitação profissional na área. Porém, dadas as peculiaridades das atividades realizadas por um cuidador, alguns cursos de nível superior podem ser de grande valia para o profissional.


No seu dia a dia o cuidador precisar dar banho no idoso, cuidar de possíveis feridas, transferir da cadeira de roda para outros lugares e várias atividades que exigem conhecimentos e técnicas específicas. Para oferecer mais segurança ao idoso, cursos como enfermagem e primeiros socorros podem ser um diferencial competitivo para o profissional.



Um bom cuidador de idosos é capaz de oferecer aos seus assistidos momentos de pura felicidade. O amor e a dedicação são capazes de fazer milagres na vida dos velhinhos.



E você? O que acha da profissão de cuidador de idosos?

179 visualizações